Postagem em destaque

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Simplesmente Fábio...

Quando alguma publicação da Katita é lançada, é comum receber e-mails e mais e-mails de pessoas querendo um exemplar gratuito.
Uns alegam que vão divulgar e isso já justifica a doação, outros alegam que não tem grana mas tem vontade de ler a Katita, outros ainda se dizem jornalistas e/ou colaboradores de sites, jornais e revistas.
Como a tiragem é pequena e não ganhamos financeiramente com a publicação, obviamente não posso atender tais pedidos, salvo raríssimas exceções.
Certa vez, em um evento, fui entregar um exemplar da Katita para um jornalista chamado Fábio.
Minha intenção era que ele divulgasse a publicação em seu programa de quadrinhos.
Me surpreendi quando ele tirou dinheiro do bolso e fez questão de pagar, comentando que sabia o quanto deveria ter sido difícil transformar aquele sonho em realidade.
O post de hoje tem que ser em sua homenagem.
Um homem  sensível que não se valeu da profissão nem do programa para descolar uma publicação gratuita.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Mundo moderno, bíblia nem tanto...

O cartunista Teles foi genial.
Diante do mundo e principalmente diante do mundo moderno é praticamente inviável seguir a bíblia ao pé da letra.
Duvida?
Então nem precisa ler a bíblia inteira.
Leia Levítico, tente concordar e seguir...

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O apoio recebido ao longo dos anos

Takeo - foto: Kelly Cristina
Katita vai completar 18 anos de criação no dia 22 de março.
Até lá o cafofo vai homenagear algumas pessoas em posts que explicarão a participação delas como incentivadoras, no mais profundo sentido da palavra.
Começando por Takeo que, além so apoio como funcionário da Prefeitura de São Paulo, colaborou de maneira intensa e pessoal.
Ao saber, por exemplo, que eu pagava pelo trabalho do desenhista Ronaldo Mendes, já que a Katita é publicada por uma editora sem fins lucrativos que custeia a edição, Takeo chegou a pagar por alguns trabalhos do desenhista.
Como se não bastasse isso, em certas ocasiões comprou a coleção completa da personagem para dar de presente.
Takeo é parte integrante desta história de persistência e resistência da Katita.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Katita e muito mais em AMORES PLURAIS

Lançado a partir de um concurso de quadrinhos com temática homossexual, Amores Plurais tem tiras e hqs de autores diversos do Brasil e Portugal.
É o tipo de publicação que não pode faltar na estante de quem se interessa pelo assunto.
Minha participação inclui 12 tiras com personagens diversos e inéditos, embora o "título" esteja com o nome Katita.
Quem quiser receber um exemplar, pode acessar diretamente o site da editora:

http://www.marcadefantasia.com/albuns/repertorio/amoresplurais/amoresplurais.htm

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Deu até vontade de comprar

Confesso que não me interesso por revistas com fofocas de artistas e similares.
Isso ficou lá na adolescência.
A tentação, no entanto, apareceu esses dias diante de uma banca.
A revista ilustra este post...
Acabei não comprando a publicação e fui investigar o assunto na internet.
Assim como eu, muita gente prefere a informação virtual e isso também se direciona na leitura de livros.
Se a impressão está com os dias contados, não sei, mas que a virtualidade anda  conquistando espaços cada vez mais amplos, isso é fato.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Japão, que decepção!!!

A notícia de enforcamentos no Japão e a informação de que 85% da população apoia a pena de morte naquele país, me chocou.
Não consigo imaginar uma nação próspera, avançada e repleta de ensinamentos construtivos vinculada a um ato bárbaro.
Sei que muitos no Brasil apoiam a pena capital, principalmente diante de atos violentos e brutais que ocorrem em vários pontos do país mas nem isso me motiva a aceitar a pena de morte como algo civilizado.
Creio que uma justiça eficiente, uma pena associada ao trabalho e principalmente ações preventivas são mais consistentes que o ato de matar.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Um lugar legal para ir

O cafofo sempre recebe informações sobre festas, palestras, lançamentos literários, etc, pelo Brasil afora.
Eventos diversos são divulgados e quem se interessa tem uma oportunidade de lazer, diversão, cultura, conhecer pessoas, etc.
O ano passado eu estava em um evento LGBT e um rapaz se aproximou dizendo que tinha tomado conhecimento do evento através do cafofo.
Perguntei se ele estava gostando e a resposta foi animadora, acompanhada de um largo sorriso.
Este é um dos estímulos de fazer o blog: a certeza de que as pessoas podem se informar e  encontrar opções para sair da mesmice.


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Transex em Quadrinhos


Camila de Castro
Camila de Castro era uma bela transex de 23 anos que protagonizava o quadro Camila Quer Casar, no programa Superpop, exibido pela Rede TV e apresentado por Luciana Gimenez.
No dia 27 de julho de 2005 ela faleceu ao cair do sétimo andar do prédio em que morava, na Praça Roosevelt, centro de São Paulo.
A inspiração, sensibilidade e talento de Julie, editora de fanzines, transformou Camila em personagem de quadrinhos.
Em 2006 foi lançado o zine Camila-zine-edição especial 1.
Uma personagem brasileira transex de quadrinhos que vale a pena conhecer.
Mais que uma homenagem, é um registro, inovação e a certeza de que os quadrinhos brasileiros devem abrir espaço para personagens do universo LGBTT.
Quer conhecer o trabalho de Julie?
Quer ler tiras da Camila ou obter mais informações sobre o zine e a personagem?
Basta escrever para camilaglsrockzine@hotmail.com

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Uma cantada incomoda muita gente...

A Katita  precisa ter uma namorada fixa.
Vc não acha que a Katita é muito danada?
Será que não está na hora da Katita namorar uma garota apenas, ao invés de paquerar várias?
Ouço essas e outras perguntas semelhantes com frequência.
Me pergunto: uma garota de 19 anos tem realmente que namorar sério?
Ela estuda, tem objetivos profissionais, não tem vícios, é boa filha e boa amiga mas sempre é cobrada.
Toda mulher, independente da orientação sexual, deve namorar?

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Uma mecânica e uma stripper: a Globo deixou!!!!

Tamanco (Mart'nália) é uma mecânica masculinizada que namora Odete Roitman (Luma Costa), gata que ganha a vida como stripper virtual (tira a roupa  diante da web cam).
O namoro é aberto no seriado  na Cova, exibido pela mesma emissora que já irritou a comunidade LGBTT por vetos aos beijos gays, por exemplo.
Como a relação entre elas mostra uma mulher masculina e outra feminina, não exibe contatos mais íntimos e a abordagem ocorre em seriado de humor, há espaço para algumas reflexões:
Será que a Globo permitiria exibir em uma atração que não fosse de humor, um casal lésbico composto de duas garotas femininas, se beijando de maneira ardente como vemos nas novelas?

Mart'nália será Tamanco em 'Pé na Cova' Foto: TV Globo / Divulgação
Foto: TV GLOBO/divulgação

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O preconceito social

O preconceito possui tentáculos e aparece em diversas situações.
Dentro do grupo LGBTT também existe.
Nesta tira, o Dodô cita um termo pejorativo, usado para gays desfavorecidos cultural e economicamente.
Referir-se a alguém como bichinha pão-com-ovo é como dizer gay pobre.
Um termo nada elegante e uma postura preconceituosa.
  

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Exercendo a paciência

Dias sem internet.
Cafofo sem as atualizações.
Speedy vem, speedy vai..
conexão quase lá...mas cai.
Para não ficar em branco
um post curto, uma satisfação.
Para a Telefonica:
inconformismo e indignação.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

O previsível verão paulistano

Todo ano é a mesma coisa.
Ruas inundadas, carros feito barcos.
As mesmas desculpas do poder público...


..


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Homem Não Entra


O lançamento da revista PICLES 3 está causando algumas polêmicas.
O cafofo mostra um e-mail recebido do Worney, da AQC( que organiza a publicação).
A participação será exclusivamente feminina.
Acho elogiável a iniciativa, mesmo com a insatisfação de algumas pessoas que admiro.
Vamos pensar da seguinte maneira: inúmeras são as publicações de hq em que a mulher não tem qualquer participação, seja nos roteiros ou desenhos. Creio que merecemos uma edição feminina, sem que  isso pareça a vingança do Clube da Luluzinha.
 
Cara Anita

Vamos por parte: a revista é de gênero. Se é de gênero teremos a visão da realidade das mulheres, que é diferente do gênero masculino, do gênero homo ou do gênero trans.  Assim a revista não comportaria outras visões de gênero.  
Nosso querido e corajoso Laerte apesar de ser crossdresser não é mulher e não vai ter a visão que a mulher terá de sua condição social.
Se incluirmos homens trans teremos a visão de um homem trans sobre a condição social da mulher.
Diferente de uma mulher lésbica ou trans que apesar de se considerarem de um gênero diferente, continuam a entender melhor a situação social da mulher do que dos homens.
Se incluirmos outros gêneros na edição da revista, então devemos colocar o gênero masculino na publicação, e assim perdemos a motivação da revista.

Um abraço,

Worney Almeida de Souza   
*o e-mail está sendo divulgando com a autorização do Worney.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Espedito: o verdadeiro workaholic

Espedito: o verdadeiro workaholic
Ricardo Jaime
João Pessoa: Edição do autor. N. 1, dez. 2012. 32p. 21,5x28,3cm. R$20,00.
Escrevi este texto por volta da meia-noite, depois de um longo e cansativo dia de trabalho – e o fiz com muito prazer – atendendo ao convite de um amigo muito especial: o autor deste livro. E por trabalhar cerca de dezoito horas por dia (incluindo finais de semana ensolarados e com cheiro de cerveja e churrasco no ar) com a mesma disposição, que já me disseram que eu sou “meio” workaholic. Sim, meio, porque workaholic por inteiro, só conheço um: Espedito. Esse sim é digno de ostentar o título.
Espedito passa o dia inteiro empilhando papéis no birô, não dá sossego à Dona Rita (a mulher do café), não se levanta da cadeira por nada (e olha que ele faz nada o dia inteiro). Nessas horas, o cafezinho é indispensável. E haja café para tanta disposição de fazer coisa nenhuma. Dona Rita que o diga! Vive correndo contra o tempo: quanto mais o tempo avança, mais ele atrasa.
Na verdade, o trabalho pesado (literalmente) de Espedito sobra para seu “pai”, Ricardo Jaime. Um gordinho de fino traço com um senso crítico de peso! Dono de um estilo de desenho único, pessoal e inconfundível, Ricardo é também portador de um grande senso de humor que só lhe falta quando seu time do coração não vence. E é com o seu melhor humor que ele retrata em tiras o dia-a-dia de Espedito na sua “cansativa” labuta diária em uma repartição que mais parece um ambiente comum ao serviço público no Brasil e que merecia tê-lo como patrono.
Vida longa e produtiva para Espedito. Mas sem muito estresse, para não comprometer a saúde.
William Medeiros
Cartunista, chargista e caricaturista

Texto originariamentepublicado no site da editora Marca de Fantasia

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Uma resenha que merece ser lida

 
Dennis Rodrigo fez uma resenha interessante sobre o lançamento da Katita.
Convido os(as) leitores(as) e seguidores(as) do cafofo para ler e conhecer uma página que realmente dá um impulso aos quadrinhos, com textos inteligentes.

http://impulsohq.com/resenha-hqb/resenha-hqb-katita-mare-cheia-de-sereia/

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O papa que me abençoou, renunciou...

Crer na reencarnação e discordar de muitas posições retrógradas da igreja, não me faz renegar minha origem e minha formação religiosa.
A renuncia do Papa Bento XVI me causou uma série de indagações e a esperança (pequena) de que um papa progressista venha trazer fôlego novo à igreja que perde fiéis e ganha resistência interna.
Guardarei uma lembrança viva de  Bento XVI em sua visita ao Brasil: com prazer, fiquei diante do mosteiro de São Bento, aguardando sua aparição e sua benção que ocorreu e me inspirou a fazer uma tira da Katita.

Lembro também que naquele dia,  a chegada de Zilda Arns causou alegria e aplausos da multidão.
Uma mulher de atitudes verdadeiramente cristãs que hoje está no plano espiritual e recebeu uma justa homenagem dos correios.
Que o novo papa venha, que a igreja se renove e ofereça a o amiga e não o chicote punitivo.


segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Juízas sumidas e jogadores sem juízo

No futebol, os jogos da primeira divisão são sempre disputadíssimos e o clima normalmente esquenta em campo.
A iniciativa de colocar mulheres apitando jogos masculinos, teve uma série de problemas.
Machismo, destempero dos jogadores e técnicos que não se acostumaram com uma mulher em campo, de apito na mão.
A Katita sente saudade dos jogos com arbitragem feminina.
A tira retrata aquela época, nem tão distante assim...

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Rio sem preconceito o ano inteiro


O cartaz da campanha conta com o número de telefone que recebe denúncias de homofobia

Que a cidade maravilhosa seja sempre lembrada por suas belezas e seu carnaval admirável.
Que o preconceito não tenha espaço e a discriminação não tenha vez.



sábado, 9 de fevereiro de 2013

Mulheres heteros ou não: agradeçam por terem nascido no Brasil

 
O Irã tem produzido filmes de qualidade, fazendo sucesso em vários países.
Mesmo com a crítica sobre o ritmo lento, é incontestável o aprimoramento do cinema iraniano.
O filme Circumstance (Circunstância), da roteirista e diretora Maryam Keshavarz, é um exemplo de qualidade e ousadia.
Com cenas excitantes e sensuais, mostra o envolvimento afetivo de duas adolescentes.
O irmão de uma delas entra neste enredo que envolve suspense, traição e uma certeza:mulheres 
iranianas, mesmo de famílias favorecidas econômica e culturalmente, são tratadas com desrespeito.

Não podem sequer tomar um banho de mar com a família, entre outros absurdos.
Algumas, no entanto, tentam levar uma vida liberta dos padrões machistas de religiosos que detém o poder no país.

Circunstance
Direção:
Elenco: (Atafeh ) (Mehran ) (Shireen ) (Hossein)
Países de Origem:Irã

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carnaval, direção e bebida


Algumas coisas não combinam.
Carnaval é alegria para brincar.
Direção é responsabilidade e a bebida pode complicar...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua

No carnaval, sua música é tocada em blocos, festas e salões mas hoje em dia, poucos sabem sobre o autor e cantor.
O cafofo revela: Sergio Sampaio nasceu em Cachoeiro de Itapemirim.
Suas composições de vários estilos tem alto teor poético e algumas letras possuem base ou referência em dois autores que ele apreciava: Augusto dos Anjos e Kafka.
Foi para o Rio de Janeiro, tentou ser radialista e viveu na boêmia, passando por sérias dificuldades financeiras.
A partir de 1970, começou a participar de Festivais, tornou-se amigo de Raul Seixas e entrou no coro do grupo Renato e Seus Blue Caps.
Em 1972 sua composição, Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua, participou do IV Festival Internacional da Canção, foi gravada no compacto do festival e vendeu 500 mil cópias.
Tornou-se sucesso no carnaval de 1973 e fez com que Sergio Sampaio ganhasse o Troféu Imprensa como revelação de 1972.
Sergio faleceu em 1994 e seu trabalho vai muito além dessa música que o eternizou.


Maiores detalhes sobre sua vida podem ser conferidos no link abaixo:


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Dodô e Katita conversam sobre um assunto sério

O melhor amigo da Katita também está indignado com a política brasileira.
Ela o incentiva a não abrir mão do voto.
Um direito adquirido não deve ser deixado de lado...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A política que desencanta

A volta de Renan Calheiros - Por Marco Jacobsen
A Volta de Renan-Por: Marco Jacobsen
As pessoas ficam desanimadas com muitos acontecimentos da política nacional.
No entanto, este desanimo ou desencanto deve se transformar em indignação produtiva, ou seja:
Ao invés de lavar as mãos é preciso colocar a mão na massa e participar de maneira efetiva da política, não apenas com o voto.
Protestar, se envolver na comunidade ou em associações que lutam pela ética no cenário político podem ser boas opções, bem como se aprofundar no assunto, não apenas em época de eleição.
Não podemos nos esquecer que a política, aceitemos ou não, interfere diretamente até na nossa vida cotidiana.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Um adorável homem feminino

Artista vanguarda.
Artista capaz de elaborar uma letra criativa e polêmica em plena década de 80.
Um clipe moderno e ousado para qualquer época, onde a pseudo-moralidade enxerga maldade em tudo...
http://www.youtube.com/watch?v=nDE8-atWWcQ

Ronaldo Mendes: desde 2005 enriquecendo meus roteiros



Prosseguindo na lista dos homenageados, em comemoração dos 18 anos da Katita, o post de hoje vai para o desenhista Ronaldo Mendes.
Desde 2005 temos uma parceria de incontestável sucesso.
Ele transforma meus roteiros em trabalhos que enchem os olhos dos(as) leitores(as).
A remuneração que posso lhe oferecer não é um décimo do que seu talento merece.
Mesmo assim, está sempre dando o seu melhor, vibra e faz parte de cada conquista e cada premiação.
 

domingo, 3 de fevereiro de 2013

O cafofo recomenda: ECOS da OCAS

Programação:
Abertura: 05/02- Terça Feira -19:00 às 21:30
Visitação: 06/02 à 09/03 das 9:00 às 20:30
Sábado: 10:00 às 15:00
Encerramento: 09/03/13 - Sábado - 13:00 às 15:00

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Cadê as freiras?

No Brasil, é crescente a quantidade de padres bonitões cantando e encantando.
Atraindo multidões, com ou sem batina, eles conquistam um lugar especial no coração de muitas católicas...
A capa de uma edição antiga do Zine Gospel tem uma pergunta que  ainda nos faz imaginar a função da freira na igreja.
Uma mera representação apática de noivas ou esposas de Jesus?
Não vemos freiras gatas, cantando e lançando cds.
Não vemos as freiras animadas como Whoopi Goldberg no filme  Mudança de Hábito (foto).
Discretas ou quase invisíveis, sob a mão pesada de um machismo milenar, não tem sequer o direito de rezar uma missa.


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Katita precisa de um homem


Em uma barbeiragem ou  algo similar no trânsito, um homem machista não vai mandar outro motorista para o tanque ou lavar louça.
    Em sua concepção isso é tarefa menor, dirigida às mulheres.                  
Na tira acima, Katita associa um homem forte ao trabalho braçal(no caso, a troca de pneu).
Na época da publicação, a tira não causou qualquer mal estar entre homens musculosos e vale lembrar que boa parte dos leitores da Katita pertence ao gênero masculino.
Os musculosos também podem ser sensíveis, não servindo apenas para o trabalho pesado mas Katita é personagem de humor.
A princípio, se o humor não ofende, não é preconceituoso.
Meus colegas da academia não podem reclamar.rs